quinta-feira, 31 de janeiro de 2013

Obesidade e depressão

Muitas pessoas da minha geração conviveram com um famoso dilema: "Tostines vende mais porque é fresquinho ou é fresquinho porque vende mais"? Hoje, depois de tantos anos, minha questão é outra: comemos demais porque nos sentimos deprimidos ou nos sentimos deprimidos porque comemos demais? 

Eu sempre achei que comer é uma das melhores coisas da vida! Pizza, macarronada, biscoito doce mergulhado no café com leite, chocolate, sorvete, palmito, feijão com arroz, beringela recheada, empada, pastel, sushi, bife acebolado do meu marido... simplesmente AMO comer!!! No entanto nunca tinha associado meu apelido de Pac-Man ao meu estado depressivo.


Muitos estudos indicam uma relação estreita entre depressão e obesidade. Um mal levaria ao outro e vice-versa. Grande parte dos obesos que procuram tratamento médico para emagrecer, apresentam depressão. E caso ainda não apresentem, eles ainda têm três vezes mais chances de ficarem deprimidos do que pessoas magras.


De acordo com um estudo recente feito pela Universidade de Brasília, das 300 pessoas que sofrem de depressão e são tratadas com antidepressivos no Hospital São Vicente de Paulo, no Distrito Federal, mais da metade está com sobrepeso e barriga saliente. Esses dados não determinam a associação que um mal tem a ver com o outro, mas demonstram o quanto essa associação é forte.


Preconceito
Como não se sentir triste e humilhado ao ser chamado a vida toda de "baleia", "rolha de poço" ou simplesmente de "gordo"? Ao entrar num avião ou num cinema e perceber que aquele assento não foi feito pra você? Ao querer comprar uma roupa bacana, mas não encontrar uma peça do seu tamanho? O simples acúmulo de gordura no corpo já causa apatia, sonolência, cansaço e desânimo. Com a depressão, esses sintomas se agravam ainda mais.
Surge, a partir daí, o que chamam de "ciclo gorduroso": a pessoa come compulsivamente para se sentir menos triste e depois se sente triste porque percebe que engordou.


Antidepressivos também engordam
Eu achava que todo antidepressivo emagrecia, inclusive já conheci pessoas que tomavam antidepressivos somente para emagrecer. No entanto, muitos antidepressivos engordam e aumentam o apetite. Por isso, em caso de depressão, não deixe jamais de procurar um médico para que juntos avaliem as melhores opções de tratamento.


E não esqueça daquela fórmula infalível: dieta equilibrada + exercício físico + descanso (em média de seis a oito horas por dia). 


Coragem a todos! ;)

 

Fonte: portal Abril.com

2 comentários:

  1. Adorei ter encontrado seu blog! Este blog é muito bem alimentado com temas esclarecedores sobre esta doença. Eu estou nessa fase, de comer, engordar, me sentir culpada e comer de novo. Em 2008 é que fui apresentada a ansiedade pelos médicos, pois eu procurava o posto de saúde achando que estava infartando e fiz um tratamento com psiquiatra por algum tempo, mas pelo SUS, psiquiatra é médico em extinção, com a exoneração da minha psiquiatra, fiquei desamparada e hoje estou sem acompanhamento médico; buscando alguma informação para tentar aliviar meu sofrimento cheguei até o seu blog. Obrigada pelas informações!

    ResponderExcluir
  2. Obrigada, Ursula! Vc tocou num assunto muito importante, que estou pesquisando agora para fazer um post: o tratamento pelo SUS. Realmente é muitíssimo difícil conseguir tratamento psiquiátrico. Com plano já não é fácil, fico pensando pelo sistema público. Vc pode me ajudar falando mais sobre seu tratamento? Caso possa, meu email é semtranstorno@gmail.com
    Obrigada e volte sempre!!!

    ResponderExcluir

Obrigada por deixar seu comentário no Sem Transtorno! Não deixe de curtir a nossa página no facebook.com/semtranstorno.