terça-feira, 5 de fevereiro de 2013

O que os olhos não vêem...

Como é difícil fazer alguém acreditar em uma doença invisível! Quero dizer, uma doença que não se percebe com os olhos.

Qualquer um repara num braço engessado, até uma espinha inflamada gera mais espanto. "Nossa! O que aconteceu???" Infelizmente, com os transtornos mentais não é assim. As doenças da mente e do espírito não são visíveis, e mesmo que a gente tente explicá-las, a maioria das pessoas não é capaz de enxergar, entender e respeitar.

Por um lado acho até bom que não levem tão a sério esses nossos problemas, porque assim podemos nos sentir um pouco mais "normais". Mas por outro lado, é triste saber que tantas pessoas só conseguem notar que há algo errado com um amigo ou com alguém da família quando essa pessoa aparece com um curativo no meio da testa.

Falta de sensibilidade? De compaixão? Talvez. Falta de informação? Não seja por isso. Então estou aqui para ajudar.

Peço que me ajudem na divulgação, compartilhando com pessoas que vocês acreditem precisar dessas informações. 
Vamos tentar fazer o coração sentir mesmo o que não se vê!


facebook.com/semtranstorno
twitter: @semtranstorno
semtranstorno@gmail.com


9 comentários:

  1. Nesta minha busca do entendimento e da melhora (5 anos) li muita coisa e aprendi muita coisa. Tô chegando num nível que estou achando que a ansiedade até que foi uma coisa boa, pois meu corpo me dá alertas que algo não está bem e que eu busco melhorar e além disso sair do comodismo e quebrar paradigmas e crenças limitadoras. As crises são ruins, muito ruins, mas me tornou uma pessoa melhor, pois consigo ver além do que está aparente, pois o que está aparente é só uma consequencia de algo mais profundo a ser visto.

    ResponderExcluir
  2. Adorei seu comentário, Priscila! Tb acho que melhorei muito como pessoa depois que comecei a sofrer as crises. Todos podemos sair pessoas melhores de situações aparentemente cruéis... que bom que vc tb sente isso.

    ResponderExcluir
  3. É como no parachoque de caminhão:"O que não me mata me fortalece"

    ResponderExcluir
  4. Parabéns pelo site de vocês!
    Eu adoro e recomendo para todos.
    Abraço

    ResponderExcluir
  5. Que bom encontrar este blog. Sofro com esta situacao há 8 anos. O trabalho em um Banco publico por 26 anos contribui com certeza para deflagrar a situação. Ainda não consegui me aposentar tenho 48 anos e já me afastei por 2 períodos de três meses pelo INSS. Já troquei de medico 3 vezes. por 3 anos sem interrupção tomei pondera e engordei 20 kg e o medico so me mandava fechar a boca. Acredito que saindo do Banco posso melhorar pois sei que o Banco tem centenas de funcionários na mesma situação. E difícil pois quem não sabe so te aconselha a aguentar e tentar melhorar ou diz que problemas todo mundo tem

    ResponderExcluir
  6. Oi, Myrian! Poxa, desejo que você consiga se aposentar, se é o que deseja! Mas enquanto isso não acontece, tente se manter firme, certa de que tudo vai melhorar e vc vai ficar bem! Infelizmente ainda temos que aguentar esses julgamentos de pessoas desinformadas e muitas vezes preconceituosas, por isso faço questão de ajudar na divulgação dos transtornos de ansiedade e depressão, que são doenças sérias e precisam ser levadas a sério.
    Venha mais vezes nos visitar, trocando experiências e palavras de apoio a gente se fortalece pra aguentar o tranco! :) Saúde e coragem!!!

    ResponderExcluir
  7. Tenho todos os TRANTORNOS DA ALMA. O
    da ansiedade, o toc, o da bipolaridade e o maior que é o do preconceito. Preconceito da sua própria família. Já fiz muita gente infeliz e já estou muito cansada.

    ResponderExcluir
  8. Caixadetesouro, a informação é a maior arma contra o preconceito. Não podemos desanimar não!!! Tente se fortalecer, a luta é constante, mas vamos superar tudo isso. Não desista!

    ResponderExcluir

Obrigada por deixar seu comentário no Sem Transtorno! Não deixe de curtir a nossa página no facebook.com/semtranstorno.