quinta-feira, 2 de outubro de 2014

Ansiedade Generalizada (TAG) - saiba o que é


Como o "carro chefe" do Sem Transtorno é o Transtorno de Pânico e como a maior parte das pessoas que me procuram estão sendo acometidas por ataques de pânico, acabo falando mais sobre ele e menos do TAG, o Transtorno de Ansiedade Generalizada, que eu também sofro e trato aqui no blog e nas reuniões do grupo de apoio.

Então vamos entender melhor o que é o TAG?

O QUE É O TRANSTORNO DE ANSIEDADE GENERALIZADA?

A ansiedade, como sabemos, faz parte da vida do ser humano. É natural que todos nós tenhamos momentos de maior preocupação quando estamos diante de situações estressantes. Mas a ansiedade deixa de ser algo normal e passa a ser patológica quando essa preocupação é constante e não está ligada a nenhum motivo aparentemente real.
De acordo com o manual de classificação de doenças mentais (DSM), o TAG é um distúrbio caracterizado pela "preocupação excessiva ou expectativa apreensiva" persistente e de difícil controle, que perdura pelo menos por seis meses e vem acompanhado por três ou mais dos seguintes sintomas: 
inquietação, fadiga, irritabilidade, dificuldade de concentração, tensão muscular e perturbação do sono. (É importante que o diagnóstico seja feito sempre por um especialista.)

Ao contrário de uma fobia, que o medo está ligado a alguma coisa ou situação específica, o TAG não tem um agente estressor específico. Essa ansiedade é menos intensa do que num ataque de pânico, mas muito mais duradoura, e torna a vida da pessoa muito difícil, já que ela fica num estado de alerta constante. Causa muito sofrimento e interfere na qualidade de vida e no desempenho familiar, social e profissional dos pacientes.

A pessoa que sofre de transtorno de ansiedade generalizada pode preocupar-se com as mesmas coisas que as outras pessoas. Questões de saúde, dinheiro, problemas familiares ou dificuldades no trabalho. Mas essas preocupações são elevadas a um nível estratosférico. Por exemplo: depois de assistir a uma reportagem sobre um atentado terrorista ocorrido em um país distante, a pessoa comum pode sentir uma sensação temporária de desconforto e preocupação. Mas quem tem transtorno de ansiedade generalizada, provavelmente, vai continuar preocupado durante vários dias e fantasiar sobre um cenário idêntico que possa ocorrer no local onde vive.

Se o telefone toca ou se liga para alguém e não é imediatamente atendido, já acha que algo grave pode ter acontecido. Às vezes, apenas o pensamento de ter que esperar que o dia passe, produz ansiedade. Suas atividades são encaradas com preocupação exagerada e tensão, mesmo quando há pouco ou nada que provoque essa preocupação.

“Está ficando tarde, ele já deveria ter chegado! Deve ter tido um acidente!“
“Eu não consigo dormir, só sinto medo… e não sei porquê!”


Nem todas as pessoas que têm transtorno de ansiedade generalizada possuem os mesmos sintomas. Mas a maioria das pessoas pode experimentar uma combinação de um número de sintomas emocionais, comportamentais e físicos.


Sintomas emocionais de transtorno de ansiedade generalizada:

- Preocupações constantes
Sente-se como se a sua ansiedade fosse incontrolável, não há nada que possa fazer para parar de preocupar-se
Pensamentos intrusivos sobre coisas que fazem você sentir-se ansioso; tenta evitar pensar sobre eles, mas não consegue deixar de pensar
- Incapacidade de tolerar a incerteza; tem uma necessidade enorme de saber o que vai acontecer no futuro
Sentimento generalizado de apreensão ou temor

Sintomas comportamentais de transtorno de ansiedade generalizada:


- Incapacidade de relaxar, desfrutar de momentos de quietude, ou ser ele próprio
Dificuldade de concentração 
Dificuldade em expressar-se, porque sente-se oprimido
- Evita situações que fazem sentir-se ansioso

Sintomas físicos do transtorno de ansiedade generalizada:


- Sensações de tensão, rigidez muscular ou dores no corpo- Sentimento de inquietação
- Problemas de estômago, náuseas, diarreia
- Tem problemas para adormecer ou manter o sono porque a sua mente fica muito ativa

Grupo de Risco

As mulheres são duas vezes mais acometidas pela ansiedade generalizada do que os homens. A prevalência desse transtorno na população é relativamente alta e é também o tipo de transtorno de ansiedade mais freqüente. Nos períodos naturais de estresse, os sintomas tendem a piorar, ainda que o estresse seja bom, como o próprio casamento ou um novo emprego. As mulheres abaixo de 20 anos são as mais acometidas, podendo, contudo, começar antes disso, desde a infância, ou pelo contrário, em idades mais avançadas, apesar de a idade avançada diminuir as chances do surgimento de transtornos de ansiedade.


Tratamento

O tratamento recomendado é a associação de medicação psiquiátrica (antidepressivos) com terapia, de preferência a cognitivo-comportamental.

Assista a esta entrevista com a Dra. 
Denise Amino, Diretora Técnica do AME Psiquiatria Dra. Jandira Masur (SP). Ela explica muito bem o que é a ansiedade generalizada, suas possíveis causas e tratamento ideal. 

"Transtorno de Ansiedade Generalizada - você sabe o que é?"



(fonte: Psicosite, site Escolapsicologia.com, Uol, Drauzio Varella; imagem retirada da internet)



31 comentários:

  1. parabéns mais uma vez pela reportagem!!! tudo isso é verdade e ainda tem muitos outros sintomas!!! é horrível essa doença!!!

    ResponderExcluir
  2. TAG se nao tratada ocasiona SP? Querida vc viu que o cantor belo parou a carreira por causa da SP?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Podemos sofrer de TAG e ter ataques de pânico sem necessariamente ter síndrome do pânico. Ou podemos sofrer dos dois transtornos simultaneamente. Quem faz esse diagnóstico é um médico psiquiatra.

      Excluir
  3. Sera que vc pode me explicar qual a diferença entre TAG e TP?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ambos são transtornos de ansiedade. No TAG a pessoa sente um medo intenso e constante sem motivo, vive em estado de alerta, mas não sofre necessariamente ataques de pânico. Pode até sofrer, mas não é regra. Já no Transtorno de Pânico, o paciente sofre, ou já sofreu, ataques de pânico em um período de pelo menos seis meses e tem medo de sofrer novos ataques. Ele passa a evitar determinadas situações, lugares, pessoas, tudo o que possa (ou que ele imagine que possa) "disparar" ataques de pânico.

      Excluir
  4. é praticamente a mesma coisa!!! tudo é decorrente da ansiedade!!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Como eu disse, ambos são transtornos de ansiedade, mas têm algumas características que os diferem. Sutis, mas existem! No fundo, o que importa é que o médico faça o diagnóstico e que os sintomas sejam tratados adequadamente.

      Excluir
  5. resumindo tudo como está na reportagem do belo. segundo o clínico geral José Cysne da clinica São Vicente. PÂNICO: nada mais é do que a ansiedade elevada ao grau extremo.

    ResponderExcluir
  6. Seja lá como for um ou outro é muito ruim e não desejo isso nem ao meu maior inimigo.

    ResponderExcluir
  7. engraçado, também penso assim!!!

    ResponderExcluir
  8. Olá, Karen, eu tive o diagnóstico de TAG em 2010 e iniciei meu tratamento, porém no ano 2013, mesmo usando a medicação, tive uma recaída e até hoje estou tentando me recuperar.Tenho todos os sintomas, exceto síndrome do pânico, mas o que me incomoda mesmo é a fadiga extrema. Ela me impede de trabalhar muitas vezes e até de fazer as tarefas de casa. Ultimamente, ela tem sido constante e estou afastada do trabalho por TAG e depressão. Tenho receio de nunca mais voltar a ser a mesma pessoa ativa que eu era. Parabéns pela reportagem!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Paula. Você está fazendo terapia? Ao meu ver, ela é essencial para que a gente consiga mudar essa forma de pensar e enfrentar todos os sintomas, que às vezes insistem em nos incomodar mesmo tomando a medicação certinha.

      Excluir
    2. Oi, Paula. Você está fazendo terapia? Ao meu ver, ela é essencial para que a gente consiga mudar essa forma de pensar e enfrentar todos os sintomas, que às vezes insistem em nos incomodar mesmo tomando a medicação certinha.

      Excluir
  9. Boa noite Karen, tenho 19 anos, e durante o ensino médio tive alguns professores observaram em mim sintomas de deficit de atenção e hiperatividade, pois sou uma pessoa desastrada, que não consegue manter o foco, distraída, todos os sintomas de tdah que muitos conhecem, apesar de não ser tão elevada, a algum tempo comecei a ter crises de choro, e sempre que precisava sair de casa entrar em desespero total, e falta de ar, tontura quando tinha crises, ao entrar em qualquer tipo de conflito em que alguém se axaltasse um pouco mais, a algum tempo toda vez que saio de casa fico com ansia constante e tenho muita falta de ar, e não consigo ficar em locais fechados com muitas pessoas, principalmente quando estou sozinha, parece que tem alguém me perseguindo constantemente, so me sinto segura quando tenho alguém que eu conheça perto, ou estou em casa, sinto que a minha dificuldade em manter relacionamento piorou, e sempre que acontece algum conflito eu tenho que fugir, e em outras vezes eu acabo tendo crise de choro e ficando completamente paralisada e sem ar, não sei mais como lidar com isso, quando preciso sair tenho que ir com muita antecedência para ir sentada, e sempre com algo que eu possa me distrair, mas mesmo assim tenho essas tonturas e ansias constantemente, isso pode ser síndrome do pânico?
    Obrigada, Raquel.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Raquel, tudo bem?
      Pelo o que você descreve, sim, parece que você está tendo crises de ansiedade (pânico).
      Em um post do blog escrevi:
      "Bom, voltei a me consultar com uma psiquiatra e a tomar fluoxetina. Já estou me sentindo bem melhor, mas ainda me sinto muito distraída, desconcentrada...
      Por acaso acabei de ler um artigo sobre TDAH (Transtorno de Déficit de Atenção com Hiperatividade), vocês conhecem? Também chamam de DDA. Eu já tinha lido há muito tempo um livro chamado "Mentes Inquietas", da Dra. Ana Beatriz Barbosa Silva, que fala sobre esse transtorno. O livro é ótimo e eu me identifiquei muito com tudo o que li nele, mas dessa vez o tema caiu como uma luva pra mim. Fiquei sabendo que tem gente que sofre desse transtorno e em consequência acaba com depressão e pânico também, acho que pode ser uma explicação mais plausível pro que eu sinto pelo menos."
      Pois é o que penso, talvez suas crises de ansiedade sejam decorrentes do TDAH. Então seria bom que conversasse sobre isso com um psiquiatra para que ele faça um diagnóstico corretamente e pense no tratamento mais adequado. Às vezes nem precisamos de remédio, somente de terapia ou mudar alguns hábitos.
      Procure a opinião de um especialista e siga o tratamento direitinho que vai ficar tudo bem. :)
      Mande notícias, ok?
      Abraço grande,
      Karen

      Excluir
  10. É triste essa doença muito triste já não aguento mais

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ale, é muito triste sim. Mas dá pra superar e viver bem. Você já procurou ajuda?

      Excluir
  11. Oi !! eu realmente acho q tenho TAG, o que mais sinto são tremores, a tensão no corpo e uma certa insegurança nas minhas acoes. O pior que quero me tornar ator, ja estudo teatro e nao abro mao disso rsrs... e isso atrapalha muito no meu processo =/

    ResponderExcluir
  12. Eu ando tendo pensamentos intrusivos acerca de morte, medo de ter um impulso suicida ou de algum dia ficar louco, só que tipo, eu não quero morrer, amo minha vida. Quando eu penso nisso, fico confrontando as minhas ideias, procurando razões para provar pra mim mesmo que nunca vou me matar ou ficar louco, fico em um dilema gigantesco, o que gera muita ansiedade. Tenho 20 anos, adoro minha faculdade, não tenho nenhum grande problema, só esses pensamentos ruminantes mesmo :/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá... Se me permite dar um conselho: procure um psicólogo. Isso é tratável, também senti isso várias vezes, principalmente esse medo de estar enlouquecendo. Uma terapia ajuda!

      Excluir
  13. Olá Karen, Muito interessante o assunto do seu blog. Estou fazendo tratamento com psiquiatra, tomo medicamento. Meu problema veio através de abstinência; Mas Deus me ajudando como está, sinto que vou me recuperar rapidinho. Quando comecei a ter problemas com TAG, estava me casando, comprando casa, pagando carro, cuidando do meu sítio, é muita coisa...Acho que houve um acúmulo de situações que só pioravam a TAG. Mas Deus está me ajudando e estou a cada dia melhor... Há dias que nem me lembro deste problema. Que Deus Abençoe cada um de nós.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, André! Fico feliz que esteja se tratando e se sentindo melhor! È isso aí, pense que o pior já passou, agora é cuidar de você e curtir a vida, a sua família... Desejo muita saúde e força pra você! Obrigada pelas palavras, é sempre um incentivo para mim. Abraços! :)

      Excluir
  14. olá ,após relacionamentos frustrantes,estou à 8 meses com os sintomas :fraqueza muscular ,vertigem,desfocamento da visão,espasmos musculares,irritabilidade,pressão arterial vai de baixa à alta, pulso acelerado,sonolência fora de hora ,mesmo após descanso,dilataçao de pupilas e vasos oculares.Ansiolítico à base de passiflora uso constante e às vzs clonazepam mas tá dificil porque não estabiliza. por favor ,pode me ajudar?

    ResponderExcluir
  15. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  16. Por favor, qualquer ajuda para uma pessoa desesperada é válida. Me ajudem!!! Qual a diferença entre Transtorno de Ansiedade Generalizada (TAG) e o Transtorno de Déficit de Atenção (TDAH ou DDA)? Como saber se tenho um ou os dois? Me ajudem, por favor. Estou sofrendo nesse exato momento em procura de respostas concretas. Isso porque sempre fui muito cheio de energia desde minha infância e tinha esses apelidos de: avoado, pestinha, elétrico, ovelha negra entre outros. Só para dormir eu tinha que passar por minha mãe e mais três tias até pegar no sono, pois ninguém conseguia me fazer dormir sozinho. Meu maior problema, ao meu ver, sempre foi ter falta de atenção e memória bem fraca para gravar coisas e assuntos mais complexos. No máximo eu aprendia a DECORAR os assuntos até fazer as provas, mas para isso eu tinha que estudar no mesmo dia e fazer logo depois as provas, pois no outro dia eu já tinha esquecido de praticamente tudo ou tudo mesmo. Minhas notas eram péssimas e não alcançava o patamar da turma. Sempre precisei de professores particulares e até meu pai não agüentava me dar aulas, pois vivia voando e sem motivação. Eu sempre acabo empurrando essas coisas mais complexas para outras pessoas, pois fico com a impressão de nunca aprender o suficiente, de ser incapaz para isso e mesmo ter brancos em grandes discussões. Hoje sou formado em Direito, mas por esses “problemas” mentais eu tenho a impressão que levei o curso de uma forma péssima, pois repeti diversas matérias e me pareceu está voltando ao passado novamente. Foi muito difícil terminar o curso dessa maneira, mas consegui. O mesmo ocorre com a minha pós-graduação, estou lá fazendo, mas minha cabeça anda desconectada e fico com a impressão que nunca aprendo nada ou fico olhando as moscas, literalmente, da sala enquanto o professor dá aula (hahhahahah). O engraçado é que as pessoas me consideram uma pessoa inteligente, mas eu não ando com muitas pessoas do meu lado. Embora tenha vários amigos eu sempre me senti e me sinto solitário, me afasto das pessoas sem perceber. Sei que tenho muito potencial, mas fico com a impressão de só faltar a concentração e a memória para eu poder me destacar em qualquer lugar e em qualquer coisa... Vocês, provavelmente, vão me falar para procurar profissionais especializados para o meu caso, mas a loucura é que já tenho e são vários. Fui diagnosticado com baixa atenção seguida de TAG por uma neuropsicologa e deu esse resultado no meu teste neuropsicológico. Já passei por um neurologista e também não identificou nada incomum no meu cérebro, podendo ser realmente alguma doença psicológica ou para a psiquiatria resolver. Tenho 2 psicologos, um me ajuda bastante a resolver meus problemas, mas foi no segundo profissional que minhas dúvidas começaram. O segundo psicólogo que trata de pessoas com TDAH me falou que eu era o exemplo claro de ser TDAH e que eu tinha TDAH. E pesquisei sobre o assunto, realmente tenho todos os sintomas ou a grande maioria deles. Ou seja, hoje eu sou tratado por possuir TAG. Tomo paroxetina (para o TAG) e quetiapina (para dormir em paz embora eu já possua uma grande sonolência normalmente). Mais esses remédios não me fazem efeito, no máximo ganhei: impotência sexual e falta de orgasmos (não consigo chegar lá de forma alguma). OBS: Desculpem-me por esse texto longo, mas acho que aqui serviu para eu desabafar ainda mais. Em decorrência desses problemas eu tenho problemas no meu lado profissional e no meu lado pessoal.

    ResponderExcluir
  17. Olá, tenho 37 anos, sou casada e tenho um filho lindo. 2014 foi ano bem difícil, com problemas familiares e por outro lado bom, pois resolvi dar um novo rumo para minha carreira. Antes estudava para concurso, agora em sociedade com uma amiga voltei advogar. Minha vida pessoal com a família núcleo está ótima, no entanto tem quase dois meses ( após a perda de um tio super problemático que quase enlouqueceu a família toda) que comecei acordar de madrugada sobressaltada, pés gelados, mãos suando frio, às vezes náuseas.....enfim !!! Desde então venho perdendo qualidade de vida. Não sinto medo de sair na rua, consigo fazer minhas atividades, mas com melhor empenho na parte da tarde. Meus horários de sono foram completamente alterados, durmo cedo, mas acordo muito cedo entre 5:30 e 6:30, sempre angustiada. Já fui à psquiatra e acho que estou com transtorno de ansiedade. Estou tomando Frontal XR 5 mg, 1 X ao dia e ela deixou outro para situações de emergência ( sublingual). Após o tratamento passei quase 15 dias bem, mas tem 3 dias que os sintomas voltaram. Já retornei para análise. O Tratamento é recente, comecei 10 de Dezembro de 2014. Nunca tive isso, queria saber se há cura, chances de me livrar de vez disso tudo que surgiu do nada em um momento que estava tudo bem na minha vida.

    ResponderExcluir
  18. Pessoal, tenho 37 anos, sou casada, e tenho um filhinho de 4 anos. Há dois meses fui surpreendida com alguns sintomas como : acordar no meio da madrugada sobressaltada, suando frio e com pés gelados. Algumas vezes tb tinha náuseas e vontade de chorar. Sensação de angústia. Isso ocorreu após o falecimento de um tio super problemático que estava causando vários problemas para família. Desde o primeiro sintoma, meu sono ficou desregulado, não tenho dificuldades para dormir, apenas comecei a ter sono mais cedo e por voltade 5:30 / 6:30 acordo na maioria das vezes com essas sensações. Já fui ao médico e estou tomando Frontal XR 5 mg,, 1 vez ao dia. E tb tenho um Frontal sublingual para situações de emergência ( ainda não usei). Comecei o tratamento tem 20 dias, os 15 primeiros fiquei bem, mas de 3 dias para cá os sintomas voltaram.....fiquei arrasada !!! Já voltei também para análise. Não tenho medo de sair, ir à rua, mas é claro que isso afeta a minha qualidade de vida, pois só consigo produzir melhor na parte da tarde.....é como se levasse a manhã toda para baixar a ansiedade. Enfim !! É a primeira vez que vivencio isso. Queria saber se tem cura, se o tratamento é demorado e se há alguma outra medida alternativa que possa me ajudar a combater esse transtorno de ansiedade. Desde já obrigada

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, Lana.
      Como vc está? Me identifiquei com tua partilha. Que medicamentos está tomando?

      Excluir
  19. Tenho 18 anos e sempre fui uma pessoa ansiosa. Ah uns três anos eu tive ataques de pânico, achava que ia morrer a todo momento, sentia tremores, vertigens, falta de ar e palpitações. Tomei antidepressivo por 6 meses e melhorei deste quadro. Mas nesse meio tempo, minha mãe se casou de novo e eu não me adaptei, aquilo me fez muito mal e comecei a desenvolver a ansiedade de novo. Juntamente com o vestibular, eu vivia muito ansiosa e angustiada. Já faço tratamento com psicóloga a dois anos e ano passado comecei a tomar ansiolitico. Esse ano, passado o vestibula, comecei a me sentir mais tranquila. Só que meu primo de 23 anos faleceu, asfixiado, o pior de tudo eh que ele tinha depressão. Aí começo a imaginar que aquilo vai acontecer comigo; passo mal, sinto várias dores pelo corpo, tenho insônia.. parece que essa ansiedade não vai sair de mim nunca, cada hora ela focaliza em uma coisa por mais que as vezes ela fique mais amenizada. O que acham q eu devia fazer? Procurar outro psicólogo? Tomar outro remédio? Obrigada

    ResponderExcluir
  20. neurologista pode ajudar a descobrir os sintomas da TAG?

    ResponderExcluir

Obrigada por deixar seu comentário no Sem Transtorno! Não deixe de curtir a nossa página no facebook.com/semtranstorno.