sexta-feira, 12 de outubro de 2007

Reação da Família


Dr. Drauzio Varella entrevista o psiquiatra Marcio Bernik (última parte)


Drauzio – Como a família deve portar-se diante de um portador do transtorno de pânico?
Bernik – O pânico, como todas as doenças psiquiátricas, não dá pintas vermelhas na cara como o sarampo nem 39º de febre. Por isso, é muito comum a família entendê-lo como uma forma de fraqueza moral e de personalidade e reagir da seguinte maneira: “eu também não gosto de trânsito, mas vou trabalhar todos os dias”. Por isso, é de importância fundamental a conscientização da família. Grupos de auto-ajuda, livros sobre o assunto ou mesmo a internet podem ser úteis para que os familiares entendam a natureza da doença. O mal-estar que o paciente experimenta num congestionamento é muito diferente do desconforto que qualquer um de nós possa sentir. Por outro lado, o excesso de compreensão pode favorecer a esquiva fóbica e a pessoa não sai mais de casa nem para ir à padaria. Na verdade, a agorafobia cresce com os bons cuidados. A família deve incentivar a atividade do doente. “Eu sei que você não se sente bem, mas é importante continuar indo à escola”, ou “se você conseguisse ir ao clube, ir trabalhar e não pedisse demissão seria melhor para sua auto-estima” são estímulos importantes para os pacientes com síndrome do pânico. Repouso é bom para gripe. Para doenças crônicas como depressão e pânico que muitas vezes a pessoa carrega pela vida afora, o pior é ficar em casa repousando. O certo é levar vida o mais normal possível apesar das dificuldades.

10 comentários:

  1. Oi galera tudo bem? Tenho 15 anos, sou mulher. A alguns dias atras, eu fumei maconha na reunião dos pixadores, aqui na minha area, mas não foi a primeira vez que eu fumei. Mas foi a primeira vez que eu senti essa onda maluca, senti minha boca formigando, meu coração super acelerado, nao conseguia falar direito, a voz nao saia, falava embolado, quase desmaiando, desmaiei por 5 segundos no colo do meu namorado, fiquei com muito medo de morrer, um panico!!!!! Pedi pra ele me levar ao médico, mas por ele ser maior de idade ele fico com medo de se prejudicar, mas ele viu que eu estava quase partindo(rs) e nao teve escolha. Nossa, nunca tinha sentido isso antes.. Usei varias vezes, e agora toda vez que eu fumo um baseado eu fico nessa onda maluca, sem contar que eu tenho sindrome do panico. Qualquer coisa acho que vou morrer, as vezes saiu na rua e imagino o teto caindo sobre minha cabeça, ou algum tiro perdido e fico com medo, achando que vou morrer. Isso realmente é uma coisa louca. Queria muito poder conversar com alguém, se alguém quiser conversar sobre essa onda louca me fale, darei meu face e cel se for possivel. E hoje eu tenho medo de fumar um baseado, sinto falta daquela onda que eu sentia, sono, felicidade, rindo a toa.. Hoje é totalmente diferente!!!!!! Nunca mais quero!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ola vamks conversar..tenho é tive ontem este mêsmo problema..meu face Dan Faraco..me passa seu tel ou face

      Excluir
  2. Olá, anônima do dia 08/04!
    Vc pode interagir com outras pessoas com o mesmo problema que o seu aqui no blog ou na nossa página do facebook. Por enquanto não tenho outra ferramenta, mas estou trabalhando para isso! Pela minha experiência, geralmente depois de uma primeira crise de pânico as outras são esperadas mesmo... sentindo.. Se essa sensação persistir, te aconselho a procurar um médico ou um psicólogo. E a não fumar maconha... ;) Dê notícias!

    ResponderExcluir
  3. Olá galera, muito bom ler o comentário de vocês. Já tem mais ou menos 2 anos que venho tendo crises de ansiedade, medo e muita paranoia, também percebo que estou meio sem noção de tempo, estou meio perdido, dificuldades de andar, tomar decisões e mesmo sem fumar eu sinto os efeitos no dia a dia. Meu primeiro pânico foi quando a galerinha que agente fumava começou a se estranhar, falar em códigos, ai ficava um reparando nos outros, se a musica que colocava se era pra alguém, porra maldita hora que fui entra nessa viagem, fiquei cismado, reparava em tudo, paranoico, brigava com minha namorada,achava que estava sendo traindo, mania de perseguição, pensava cada coisa maluca,inclusivo achava que tinha AIDS kkkk, me olhava no espelho me via magro, ficava pesquisando os sintomas sensação horrível. Marquei um psicólogo no próximo mês, mais fico arrumando desculpas com medo de confirmar sou louco, meu pai e dependente de droga, alcool e remédios inclusive esta internado, eu fico com medo de ficar igual pois já estou bastante parecido. Eu usava cocaina, bebia, lsd as vezes mais de boa, ai depois de começar essas loucuras e parar de fumar a ganja, comecei a usar cocaína e álcool em grande quantidade e com mais frequencia para aliviar a tensão, ilusão pq no outro dia vem dobrada e junto com depressão, queria muito melhorar e ate fumar um baseadinho, estou isolado não saiu mais, tenho fobias de festa lugares com muita gente, bastante medo pq brigava muito e já me dei mal, fico achando que vou apanhar, ou que vai te algum tipo de confusão, tenho um pouco de depressão, todas as besteiras que eu fiz fica me atormentando diariamente, vem lembras ruins desda infância ate hoje, me perseguindo, não vivo em paz, tenho 22 anos e estou patricamente vegetando, trabalho e gasto tudo com bebida e drogas, estou com baixa estima, e tenho vergonha de falar a galera ao redor, meus pais, família, fico pensando que eles vão achar que e frescura, ou querer me internar a força, muito complicado, estou 17 dias sem usar pó, bebi só pouco fds, já ia esquecendo, eu ja fumava muito e agora esses tempos fiquei altamente dependente de cigarro, com essa ansiedade e stress fumo muito e se não tiver cigarro me tremo fico nervoso foda! Desculpa os erros! Escrevi com pressa pois vou para casa.
    TENHO FÉ EM DEUS QUE DESSA VEZ EU MUDO, PARO COM A COCAINA, ENTRO NA ACADEMIA, COMPRO ALGUMAS ROUPAS E VOLTO A VIVER!

    BOA PEDIDA PARA GALERA QUE TA NESSA BADTRIP! TOCA RAULLLLL
    Não diga que a canção
    Está perdida
    Tenha fé em Deus
    Tenha fé na vida
    Tente outra vez!...

    ResponderExcluir
  4. Anônimo do dia 21 de maio: você é muito novo, não desista de você! Peça ajuda, procure por um tratamento e leve-o a sério! Sua vida pode ser muito melhor sem vícios e paranoias. Tenha fé na vida e tente outra vez!!!! :)

    ResponderExcluir
  5. na moral comersei a fumar aos 12 anos
    aos 16 tive problemas com minha familia
    quando fumava meu coração desparava

    ao passar do tempo comersei a ter crises
    deseinvouvir sp sofri muito hoje estou bein

    mas com ajuda de medicamentos

    comersei com clomipramina foi horivel
    mudei para fluoxetina melhorei um pouco
    ao passar do tenpo voltei a fumar
    naão tive mais crises
    troquei para paroxetina
    mau ps mandou tomar
    tbm nortriplitilina e rivotril
    hoje estou otimo parei
    com massa
    macás bahia ...me chamo lv

    ResponderExcluir
  6. Olá,boa tarde!

    seguinte,vou contar a minha historia.aos 16 anos comecei com a cocaina e quando foi mais ou menos em 2009 para 2010,uns "amigos" me chamaram pra fumar um beck,eu sempre tive aquela vontade de experimentar,fumei um de boa com eles,e quando foi uns 30minutos depois,fumei outro,so que quando fumei esse,senti uma frieza subindo para o cérebro e fiquei muito chapado,comecei a rir do nada e talz,mas um tempo se passou "entre 2 a 5minutos" e meu coração acelerou e pensei que ia morrer,me levaram pro medico disse o que tinha acontecido e la tomei soro,voltei pra casa muito chapado ainda,e adormeci.
    no outro dia ainda estava chapado,e foi indo,ate que se passou mais ou menos 1semana e eu estava na academia malhando de boa,e me deu tipo uma tontura e pensei que ia desmaiar e morrer ali.começou o inferno na minha vida. a partir da quele dia,fiquei com medo das coisas,se passou algum tempo e ainda sentia,entrei pro exército aos 19 anos,fumei tinha uns 18 por ai,toda pressão la dentro e talz,acabei ficando pior ainda,fui ao psiquiatra mais nao contei a verdade a ela com medo de ser preso,então ele disse que eu estava com depressão grave e me passou alguns remedio,fiquei tomando mais ainda continuei mal,ate em 2011 tentei o suicidio com 30comprimidos de RISSPIRIDONA,fiquei internado 33dias,sai da clinica e continuei mal,as vezes não sei o que é real e irreal. quando foi mais ou menos em dezembro de 2013 me deu um desanimo da vida,comecei a fumar maconha de novo,fumei muito.muito mesmo!
    quando foi que aconteceu de novo,pensei que ia morrer,e de la pra cá estou muito mal,mas tenho medo de contar ao meu medico toda verdade,hoje tomo sertralina e risspiridona.
    alguem aconselha eu contar toda verdade ao medico?
    quero minha saude,estou muito mal!
    já são mais ou menos 4anos (ou mais) preciso de ajuda.
    estou vegetando,não saiu de casa,não faço nada,só fico dormindo,comendo e no computador!
    preciso de ajuda,eu quero sair dessa!!
    obrigado pela atenção de todos!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Paulo, SIM, na minha opinião você não deve omitir informações do seu médico. (ele é psiquiatra?) A combinação medicação correta + terapia costuma ser muito eficaz. É minha dica.
      Saúde, paz e coragem!!! :)

      Excluir
  7. Olá,boa tarde! Me chamo Paulo e tenho 23anos.

    seguinte,vou contar a minha historia.aos 16 anos comecei com a cocaina e quando foi mais ou menos em 2009 para 2010,uns "amigos" me chamaram pra fumar um beck,eu sempre tive aquela vontade de experimentar,fumei um de boa com eles,e quando foi uns 30minutos depois,fumei outro,so que quando fumei esse,senti uma frieza subindo para o cérebro e fiquei muito chapado,comecei a rir do nada e talz,mas um tempo se passou "entre 2 a 5minutos" e meu coração acelerou e pensei que ia morrer,me levaram pro medico disse o que tinha acontecido e la tomei soro,voltei pra casa muito chapado ainda,e adormeci.
    no outro dia ainda estava chapado,e foi indo,ate que se passou mais ou menos 1semana e eu estava na academia malhando de boa,e me deu tipo uma tontura e pensei que ia desmaiar e morrer ali.começou o inferno na minha vida. a partir da quele dia,fiquei com medo das coisas,se passou algum tempo e ainda sentia,entrei pro exército aos 19 anos,fumei tinha uns 18 por ai,toda pressão la dentro e talz,acabei ficando pior ainda,fui ao psiquiatra mais nao contei a verdade a ela com medo de ser preso,então ele disse que eu estava com depressão grave e me passou alguns remedio,fiquei tomando mais ainda continuei mal,ate em 2011 tentei o suicidio com 30comprimidos de RISSPIRIDONA,fiquei internado 33dias,sai da clinica e continuei mal,as vezes não sei o que é real e irreal. quando foi mais ou menos em dezembro de 2013 me deu um desanimo da vida,comecei a fumar maconha de novo,fumei muito.muito mesmo!
    quando foi que aconteceu de novo,pensei que ia morrer,e de la pra cá estou muito mal,mas tenho medo de contar ao meu medico toda verdade,hoje tomo sertralina e risspiridona.
    alguem aconselha eu contar toda verdade ao medico?
    quero minha saude,estou muito mal!
    já são mais ou menos 4anos (ou mais) preciso de ajuda.
    estou vegetando,não saiu de casa,não faço nada,só fico dormindo,comendo e no computador!
    preciso de ajuda,eu quero sair dessa!!
    obrigado pela atenção de todos!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Meu amigo eu irei entrar no exercito amanhã e eu ainda tenho a sensação de que vou morrer. Recomendo que você diga a verdade pois é o melhor caminho e te digo uma coisa se afaste das drogas isso não vai te levar a lugar algum e se entregue a DEUS ele sim pode te curar desse transtorno tenha fé.

      Excluir

Obrigada por deixar seu comentário no Sem Transtorno! Não deixe de curtir a nossa página no facebook.com/semtranstorno.