quarta-feira, 15 de maio de 2013

Alimentos que devem ser evitados por ansiosos


Quando estamos muito ansiosos, a tendência é comermos muito mais, 
não é? Muito mais e muito mais "bobagens"! 
É, porque ninguém costuma pensar em devorar uma travessa de salada, mas sim um pote de sorvete, uma barra de chocolate inteira, pipoca, biscoito, sanduíche... Você não pensa? Ah, eu penso!!! :)

De acordo com a médica Ana Beatriz Barbosa Silva, alguns alimentos deveriam ser completamente eliminados, ou ao menos drasticamente reduzidos a pequenas quantidades, pelos portadores de ansiedade moderada a grave:

1) Cafeína (café, chá preto, refrigerantes a base de cola etc.) - A cafeína deflagra ansiedade e até mesmo sintomas de pânico porque excita diretamente vários mecanismos de estimulação do corpo. Além disso, a cafeína estimula a descarga de hormônios do estresse, intensificando ainda mais os sintomas de nervosismo e agitação. Ana Beatriz recomenda que o consumo de café seja reduzido a uma xícara por dia. Por outro lado, muitos chás de erva como a camomila, a cidreira, erva-doce e hortelã-pimenta podem exercer um efeito relaxante sobre o corpo, ajudando a reduzir a ansiedade.

2) Açúcar - A ingestão excessiva de açúcar pode ser um importante fator no surgimento de sintomas de ansiedade. A pessoa pode se sentir inicialmente eufórica e depois sentir um rápido choque e uma redução profunda em seu nível de energia. Quando o nível de açúcar no sangue fica demasiadamente baixo, a pessoa sente-se ansiosa, agitada e confusa porque o cérebro é privado do seu combustível maior. O ideal é ingerir maiores quantidades de carboidratos (açúcares) complexos, como cereais integrais, batatas, legumes e frutas. Os açúcares desses alimentos são digeridos lentamente e liberados na circulação sanguínea de forma gradual.

3) Álcool - Tal como os açúcares, o álcool aumenta os sintomas de hipoglicemia e o seu uso excessivo pode aumentar a ansiedade e as oscilações de humor. O álcool pode causar profundas mudanças comportamentais quando consumido em excesso. Os principais sintomas incluem a ansiedade, a depressão, os acessos irracionais de cólera (raiva), a baixa capacidade de julgamento, a perda de memória, vertigens e a coordenação motora deficiente. Recomenda-se que seu uso seja escasso e que, quando for feito, nunca exceda duas taças de vinho, duas latas de cerveja ou apenas uma dose de qualquer destilado (uísque, vodka, aguardente etc.).

4) Suplementos alimentares - Milhares de suplementos químicos são usados na fabricação comercial de alimentos. Alguns podem produzir sintomas alérgicos e desencadear ansiedade em muitas pessoas. Alguns pacientes queixam-se de que o uso do adoçante artificial aspartame precipita neles sintomas pré-pânico, como taquicardia, respiração superficial, dores de cabeça, ansiedade e vertigem. O mesmo ocorre com o glutamato monossódico, tempero usado para realçar o sabor de alguns alimentos.

5) Laticínios e carnes vermelhas - Devem fazer parte da dieta de forma moderada, já que a digestão de ambos é extremamente difícil para o organismo e, por essa razão, podem agravar a depressão e a fadiga que coexistem em muitas pessoas com sintomas de ansiedade.




(fonte: livro Mentes Ansiosas / foto: reprodução internet)

Um comentário:

  1. Eu tenho sérios problemas de ansiedade, mas ao contrário do que foi dito, quando tenho uma crise perco completamente o apetite, me esforço pra comer, e como já sou magro é um grande problema.

    ResponderExcluir

Obrigada por deixar seu comentário no Sem Transtorno! Não deixe de curtir a nossa página no facebook.com/semtranstorno.