domingo, 10 de fevereiro de 2013

Agorafobia - medo de lugares amplos / multidões

Madonna durante turnê do
"The Girlie Show" - 1993
"A estreia da Madonna com seu primeiro show no Brasil foi com um recorde mundial, no dia 06 de novembro de 1993! Ela conseguiu reunir no show do Maracanã absurdas 120 mil pessoas, sendo o seu maior público da turnê." (Portal UOL)

Se não me engano, não foi o primeiro show no Brasil, ela já tinha tocado em São Paulo três dias antes. Mas enfim, seria a primeira vez que eu e meus amigos, mega-ultra-fãs da estrela pop mundial, a veríamos de pertinho. E de pertinho mesmo, fomos os primeiros a chegar no estádio, passamos horas na fila até que abrissem os portões e conseguimos ficar juntinhos ao palco, na primeira fila, grudados na grade de contenção, à frente daquele verdadeiro mar de gente. Quantas pessoas mesmo? Ah, 120 mil.

Quando o show começou e Madonna surgiu vestida de dominatrix cantando "Erotica", os gritos histéricos (inclusive os meus) fizeram o Maraca tremer como final de campeonato nenhuma, certamente, fez! Dali pra frente, seria puro êxtase!!! 

Mas não pra mim...

No meio do show, bateu o desespero: eu precisava sair dali, rápido, urgente!!! Com vergonha de dizer que estava em pânico no meio daquela gente toda, disse que meu "joelho" estava doendo muito, que estavam me imprensando na grade. Uma das minhas amigas, coitada, me ajudou a sair dali. Fomos para o posto médico e acabei levando uma injeção de antiinflamatório. Tudo pra não estragar minha encenação.
O resto do show foi assistindo de binóculos, lááá do fundo. E até hoje peço desculpas à minha amiga por isso!


Se você já passou por alguma situação semelhante, sabe do que estou falando. Talvez não saiba o nome desse descontrole, mas eu te conto: seu nome é agorafobia.

A agorafobia geralmente acompanha o transtorno do pânico, é raro ocorrer sozinha. Ela trata de um tipo de fobia generalizada, na qual a pessoa sente um medo intenso e injustificável de estar em lugares amplos ou com um número grande de pessoas. O medo é de terem dificuldade para serem socorridas, caso precisem. 


A agorafobia leva as pessoas a evitar situações cotidianas diversas, como ficar sozinhas em casa, sair de casa, andar de ônibus, carro, elevador, avião, trem, metrô, atravessar pontes, viadutos, passarelas, realizar viagens ou passeios mais distantes. Quase sempre, as pessoas que sofrem de agorafobia necessitam da presença de outras pessoas de confiança para enfrentar essas situações. Teve uma época em que eu só tomava banho com a minha mãe sentada num banquinho do lado de fora do box e só conseguia ir pra faculdade se uma determinada amiga fosse comigo.

Pacientes com agorafobia possuem um intenso temor de apresentarem sensações físicas e psíquicas de ansiedade e desencadear crises ou ataques de pânico. É o famoso "medo de ter medo". Grande parte desses pacientes tende a evitar situações, pessoas e locais.
 

Recentemente passei por uma situação constrangedora no casamento de um primo. A família estava toda reunida em Florianópolis, cidade que eu adoro, mas longe de casa. A  cerimônia foi linda, estava tudo perfeito, mas, pra variar, a "maluquinha" da família (eu) se sentiu mal durante o trajeto da igreja até a casa de festas. O carro estava cheio, quente, e aquilo foi me dando um mal-estar incontrolável. Resumindo: tive uma enxaqueca horrorosa, que hoje sei ser de fundo emocional, e o tempo que passei na festa, cerca de uma hora apenas, fiquei dentro do banheiro, morrendo de medo de desmaiar, de passar mais vergonha ainda. 

Tratamento
Determinados tipos de antidepressivos controlam com eficácia os ataques.
O controle dessas crises de pânico gera uma maior segurança e predisposição para que muitas pessoas consigam enfrentar situações e locais que antes evitavam. A terapia cognitivo-comportamental (TCC) é muito importante nesse processo, ela prepara o paciente para romper essa "corrente" de medo, insegurança e incapacitação.



Fonte: livro Mentes Ansiosas, Madonna online

Fotos: reprodução internet

9 comentários:

  1. OI, sou a Sonia, tenho 43 anos e "carinhosamente" para diferenciar-me das outras "sonias" amigos e afins falam: a Sonia Doida.Agora bem menos doida. Tenho TAB, demorou o diagnóstico , fui submetida há anos de tratamento só de depressão e isso piorou as coisas. Fora todas as dores e lutas solitárias que travamos e sentimos, vamos adquirindo outros transtornos como TOC e agora apresento Agorafobia. Obrigada por mencionar este transtorno, no meu trabalho lido com pessoas, ali parece que estou atuando, chego em casa e mal saio do meu quarto, aos finais de semana não coloco os pés na calçada, tenho feito tratamento as coisas melhoram aos poucos mas se não houver apoio da família e dos amigos a luta é muito árdua! Bom Trabalho!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, "Sonia Doida", prazer, sou "Karen, A Estranha"... rss
      Obrigada pelo seu comentário. Continue firme no seu tratamento, não desista de ter uma vida melhor. E vc tem toda razão, o apoio da família e dos amigos é fundamental. Para isso, precisamos informar sobre essas doenças e acabar com o preconceito. Volte sempre!

      Excluir
  2. Oi, "Sonia Doida", prazer, sou "Karen, A Estranha"... rss
    Obrigada pelo seu comentário. Continue firme no seu tratamento, não desista de ter uma vida melhor. E vc tem toda razão, o apoio da família e dos amigos é fundamental. Para isso, precisamos informar sobre essas doenças e acabar com o preconceito. Volte sempre!

    ResponderExcluir
  3. Oi Karen sou portadora de agorofobia a mais ou menos um ano... infelizmente não continuei o tratamento e sinto que tenho piorado nos ultimos dias.. Hj já marquei a consulta do psiquiatra novamente. Tenho sofrido também com a falta de apoio da família... acho que eles não acreditam na doença (pura ignorancia).Obrigada por esse blog. Bjs no ♥

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Lene, tudo bem?
      Obrigada, fico feliz que tenha gostado do blog.
      Você já teve sua consulta?
      Infelizmente, ainda nos deparamos com muita resistência por parte das pessoas que não compreendem nosso problema, incluindo muitas vezes nossa própria família. Meu trabalho é muito voltado para esse lado da informação. Com o tempo e conforme forem se deparando com outros casos como o nosso, tenho certeza que vão saber lidar melhor com o assunto.
      Mande notícias, ok?
      Abraços, saúde para você!

      Excluir
    2. ultimamente ando me sentindo assim!quem quiser conversar me add no whats 85 92296924.gostaria de tirar duvidas e conversar sobre isso. ass:Julia L.

      Excluir
  4. Oi, Karen. Este é o meu transtorno.
    É este o consumidor dos meus dias...minha luta para sobrevivencia.
    Como é dificil, um dia bem, o outro não, o outro também não...
    Uns dizem que este transtorno tem cura com a TCC, outras não.
    Como vou enfrentar um tratamento que não tem cura? Disposição eu tenho mas não sei se tenho mais forças para isso.
    Obrigada por abrir este espaço para este transtorno.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Aline, tudo bem?
      Há quanto tempo vc sofre com a agorafobia? Posso lhe dizer por experiência própria que a TCC ajuda muito! Foi graças a ela e à medicação que consegui minha vida de volta - sair, viajar, me divertir, estudar, trabalhar. É preciso ter força sim, e se você já tem disposição, vá em frente!!! Aonde você mora? Já procurou algum psicólogo ou grupo de mútua ajuda na sua cidade?
      Abraços!

      Excluir
  5. Oi eu sou Jéssica tenho 16 anos.
    bom a 2 anos atrás eu sofria de depressão e agorafobia,não sabia o que era então fica calada passando mal,até que 1 ano atrás não aguentei e pedi ajuda aos meus pais contei o que estava acontecendo mas eles disseram que não era nada que era coisa da minha cabeça que eu tinha que aguenta,um dia estávamos todos na sala vendo televisão e passo uma matéria sobre fobias seus sintomas e tratamento e todos os sintomas que falaram eu sentia falei pros meus pais e eles procuraram um psicologo comecei o tratamento o mas rápido e descobri que tinha depressão e agorafobias,já tem uns meses que parei com o tratamento mas continuo com o psiquiatra,tomo remédios e o fato de fazer tratamento psiquiatra faz as pessoas do meu colégio acharem que sou louca ou doida ,muitos não tinha e não tem paciência comigo pois ainda tenho agorafobia então não saio muito de casa ou do quanto,antes eu mim achava estranha e achava que estava sozinha mas descobri que a pessoas com o mesmo problema que os meus e isso mim ajudo muito pois não mim sinto mas uma excluída da sociedade.
    obrigada pelo blog karen,mim ajudo muito a entende mas sobre a agorafobia espero que assim como meu você consiga se liberta desse sofrimento.
    bjs

    ResponderExcluir

Obrigada por deixar seu comentário no Sem Transtorno! Não deixe de curtir a nossa página no facebook.com/semtranstorno.