quinta-feira, 20 de setembro de 2007

O que é a síndrome do pânico?


Para início de conversa, vamos procurar entender o que é a síndrome do pânico. Afinal, precisamos saber se você realmente está doente ou se está precisando só tirar umas férias e esfriar a cabeça.
No site do médico Drauzio Varella, o psiquiatra Márcio Bernik (coordenador do Ambulatório de Ansiedade do Hospital das Clínicas do Instituto de Psiquiatria da Universidade de São Paulo) define:


SÍNDROME DO PÂNICO
A síndrome do pânico, na linguagem psiquiátrica chamada de transtorno do pânico, é uma enfermidade que se caracteriza por crises absolutamente inesperadas de medo e desespero. A pessoa tem a impressão de que vai morrer naquele momento de um ataque cardíaco porque o coração dispara, sente falta de ar e tem sudorese abundante.Quem padece de síndrome do pânico sofre durante as crises e ainda mais nos intervalos entre uma e outra, pois não faz a menor idéia de quando elas ocorrerão novamente, se dali a cinco minutos, cinco dias ou cinco meses. Isso traz tamanha insegurança que a qualidade de vida do paciente fica seriamente comprometida.

Ansiedade normal e ansiedade patológica - qual é a diferença?

Dr. Drauzio Varella entrevista o psiquiatra Marcio Bernik (primeira parte)

Drauzio – Que diferença existe entre ansiedade normal e a que caracteriza a síndrome do pânico?
Bernik – Ansiedade é um estado emocional normal. Uma das características do sucesso da espécie humana é a capacidade de antecipar o perigo, o que requer uma preparação geradora de ansiedade. A ansiedade é patológica quando deixa de ser útil e passa a causar sofrimento excessivo ou prejuízo para o desempenho da pessoa. O transtorno do pânico é uma das formas de manifestação da ansiedade patológica.

Drauzio – No dia-a-dia, quando as pessoas dizem que estão ansiosas a que exatamente estão se referindo?
Bernik - Provavelmente se referem a um estado emocional normal, um tipo de ansiedade que as faz ficar acordadas até mais tarde na véspera de uma prova ou de uma entrevista para um emprego novo. É a ansiedade que nos permite, apesar do cansaço, jogar bola até o final do segundo tempo sem deitar e dar um cochilo no campo.A ansiedade advinda da preocupação de que alguma coisa possa dar errado é útil dentro do contexto apropriado. Por isso, quando as pessoas se dizem ansiosas, estão mesmo, e isso pode não representar inconveniente maior.A ansiedade patológica é desproporcional ao contexto. As sensações que o paciente com transtorno do pânico experimenta nas crises podem ser absolutamente normais e apropriadas se a pessoa estiver dentro de um prédio pegando fogo, com a diferença de que, nesse momento, sua atenção estará voltada para a própria sobrevivência e ela não dará importância às manifestações de taquicardia, sudorese e falta de ar que se instalaram.


Entendeu? A ansiedade só é considerada uma doença se nos impede de levar uma vida normal. Todos podem se sentir um pouco agitados de vez em quando, principalmente às vésperas de tomar uma decisão importante ou de uma prova na faculdade, por exemplo. Mas quando isso se torna constante e vem acompanhado de sintomas físicos bastante desconfortáveis, como mencionado acima, chegou a hora de procurar um médico. De preferência um psiquiatra.

Bjo.

4 comentários:

  1. Muito bom!!! Adorei a materia,tirou minhas duvidas,acredito que nao sofro desse mau>>>
    Bjos

    ResponderExcluir
  2. acho q estou co esse mau eu estive muito nervoso com um exame cardiaco q ia fazer e não deu nada mais não tiro da cabeça isso e sinto esses sintomas todos ai meu corpo fica leve eu sinto tonturas e
    parece q estou mesmo tendo um ataque cardiaco..

    ResponderExcluir
  3. Nossa muito legal essa ideia...amei
    pois tbm tenho a sindrome do panico..meus Deus horrivel isso.
    Hj não tomoo mais remedios..mas sempre em alguns dias ela surge de novo e principalmente em situações nada boa....Horrivel eu acreio que meu Deus vai me curar e vc tbm.....bjo a gostaria de falar mais com vc!!!!

    ResponderExcluir
  4. Oi
    Veja o meu blog sobre minha experiência pessoal-infernal com a síndrome do pânico. Obrigado.

    ResponderExcluir

Obrigada por deixar seu comentário no Sem Transtorno! Não deixe de curtir a nossa página no facebook.com/semtranstorno.