segunda-feira, 4 de março de 2013

"Males da Alma", parte 3 (síndrome do pânico e TAG)

O terceiro episódio da série Males da Alma abordou a síndrome do pânico e o transtorno de ansiedade generalizada.


Ladislau conta com o apoio do filho
Confesso que esperava muito mais. Achei a abordagem fraca; informações básicas ficaram de fora!
A síndrome do pânico não é só ficar preso em casa. Nós não ficamos bebendo água o tempo todo (o programa começou com essa imagem). E por aí vai...

Faltou informação relevante, de quem vive isso de perto, como um médico (Dr. Drauzio) vive. De qualquer forma, assista com seus próprios olhos e critérios, e nos diga o que achou! ;)

Dois pontos que achei muito positivos: 
1) percebemos o quanto o carinho e o apoio da família - no caso, do filho do primeiro personagem - é importante para a recuperação do paciente. 
2) a segunda personagem falou sobre a importância da terapia e da atividade física no tratamento dela. Ela afirmou que somente remédios não resolvem. Essa informação deveria ter sido passada pelo próprio Dr. Drauzio Varella, mas...

E independentemente da minha opinião sobre o quadro, quero deixar registrada a minha admiração pelas duas pessoas que aceitaram se expor dessa maneira para a divulgação da doença. Aliás, o site do Fantástico tinha divulgado que o segundo caso era de um jovem que vivia normalmente depois de enfrentar a doença. Não sei o que houve.

Vamos em frente! Temos muito a falar sobre o assunto!!! 

Muita coragem, força e paz para todos nós! :)

14 comentários:

  1. Concordo com você Karen, eu me decepcionei, diversas pessoas poderiam ter sido muito mais ajudadas, os exemplos nao representaram casos clássicos de síndrome do pânico e tag, parabens aos pacientes que se expuseram. Vi um programa da tv americana na net, muito mais completo, mostrou passo a passo ao longo de meses a cura progressiva de um rapaz com SInd. pânico pelo método da exposição repetida, muito legal ele saindo na rua, subindo o teleférico com taquicardia e mãos geladas e tremores, aos poucos, com a exposição repetida ao falso risco os sintomas foram sumindo, aquilo sim me motivou e me ajudou muito, abraços. Humberto

    ResponderExcluir
  2. Pois é, Humberto, perderam uma preciosa oportunidade de explicar melhor o transtorno, o tratamento adequado, a importância do apoio da família e dos amigos, a importância do respeito dos colegas de trabalho, da compreensão da chefia por conta dos sintomas, tanta coisa!
    Vou procurar esse programa que vc mencionou. Caso o encontre, me passe o link, por favor! :) Abraços, saúde e paz!

    ResponderExcluir
  3. ola!
    ha 12 anos fui diagnosticada com transtorno de panico e ansiedade generalizada.sofri por 1 ano sem saber o que eu tinha,fiz psicoterapia,usei anti depressivos,ansioliticos,minha vida mudou radicalmente,voltei a viver pois como o homem da reportagem nao saia para ir a padaria a 100 metros de casa.
    portanto acho que a gente aprende a conviver com a doença,para meu caso nao houve cua e sim uma enorme e consideavel melhora,pois ainda hoje sinto aqueles sintomas horriveis com menor intensidade na maioria das vezes,por isso acho que esta doença teria de ser tratada e comentada com mais profundidade e uma situaçao complexa para ser abordada superficialmente como foi no quadro do fantastico.

    ResponderExcluir
  4. Oi, Vera! Também tenho ansiedade generalizada com pânico e outras fobias específicas e também não estou curada, mas sob controle!
    Concordo com vc, o assunto deveria ser tratado com mais cuidado, afinal, é complexo e delicado mesmo. Estou tentando fazer a minha parte nessa divulgação... espero que me ajudem! Saúde, coragem, e volte sempre!!! ;)

    ResponderExcluir
  5. Bom dia! Achei por acaso o blog quando estava pensando exatamente nisso: como seria bom ter um espaço para dividir essas angustias que só quem tem o problema consegue entender. Acabei de passar por um momento ruim... Há alguns minutos. Sai de casa pra ir pra rodoviária pois estou indo viajar a trabalho. No taxi já senti meu corpo gelado. Fui em frente e andar parecia um fardo... Enfim o ônibus chegou e agora, acomodada nele e com um rivotril sinto a sensação passando. Fazia tempo que nao sentia. Fui diagnosticada há 4 anos. Já passei por momentos horríveis mas nao me curei. Já fiz tratamento com muitos médicos. Enfim, quis dividir aqui minha experiência.

    ResponderExcluir
  6. eh.. tambem vi a reportagem e achei muito idiota! tenho sindrome do panico tambem, mas procuro ver isso como uma formula de obstaculo pra mim, tentando superar isso pra mim tah sendo uma grande luta! e como! 'na escola comeco a passar mal no bus, mas me destraiuo com um livro, mas minhas maos ficam dormentes, entao fica dificil.. tento pensar que iswso nao vai durar pra sempre , que to bem...enfim!"
    Quando saio de casa, penso que nao irei voltar mais, penso que minhas p-ernas vao se paralizar, penso que noa havera saida pra mim, penso que nao irei conhecer outros lugares, penso que nao vou ser feliz, e principalmente penso que nao vou aguentar,,, penso que vou morrer#
    Ainda nao to tomo remedio, nao mfui ao Neuro, nem psicologo, nem psquiatra... Digo que isso vem de NOS, por que se nos determinassemos que nao temos, nao vai ter mesmo! para e pensa! #QUANDO VOCE PENSA QUE VAI PASSAR UMA CRISE... voce provavelmente, TERA UMA CRISE! pensa em relaxamento, em familia, em algo bom! e qwuando passar mal, pense em DEUS. pois ele e a unica pessoa que ta me dando forca... hoje to me sentindo melhor, ontem tambem.... espero que continue assim... quem me olha de frente, nao ve o que eu tenho por tras. "-UM PROBLEMA TERRIVEL, UMA IDIOTICE DE PANICO BESTA UM PESADELO"... mas to tentando ver isso como uma forma boa de viver... quero mesmo superar obstaculos! QUERO VIVER1 queria que alguem me add no Facebook: EH Thiago Assuncao BjoBjoo ah! e tenho so 17 anos hein! u-u

    ResponderExcluir
  7. Oi, Erika! Fico feliz que tenha gostado do blog, espero que apareça mais vezes para dividir sua experiência conosco! Vc está em tratamento atualmente? Toma alguma medicação além do Rivotril em momentos de crise? Dá uma passeada pelo blog e tenta seguir as dicas para combater a ansiedade, vc vai se sentir melhor! Seu diagnóstico é de transtorno do pânico?
    Vamos nos falando, dividir sua história com outras pessoas que passam pelo mesmo problema que vc vai te ajudar, tenho certeza! ;)

    ResponderExcluir
  8. Oi, ThiiagO's BLOG, tudo bem?
    Vc disse que nunca procurou um especialista, mas diz que tem síndrome do pânico.
    Pelo o que vc descreve, parece mesmo que vc tem pânico, mas quem te deu esse diagnóstico? Talvez seja uma boa vc procurar uma orientação médica, já que tem sofrido com tantas sensações desagradáveis. Por outro lado, concordo com vc no que diz respeito a pensar em coisas boas, tentar relaxar... existem técnicas para isso. Obrigada pelo seu comentário e torço para que seja realmente feliz, como deseja! Vc é muito novo, tem muuuuito tempo pela frente! Cuide-se! :)

    ResponderExcluir
  9. Bom dia a todos! Karem muito legal este espaço.Estou passando tb por uma etapa da minha vida onde existe a presença da TAG e do Panico. Gostaria de dizer aqui que por muitos anos sofri com isso sabendo que precisava de ajuda, porém sem coragem de pedir ou pior com medo do que as pessoas iam dizer ou pensar a respeito.A impressão que eu tinha era de que demostraria fraqueza aos outros. Nos últimos dias tive crises severas e então finalmente procurei ajuda da familia e de um neurologista. Fiquei espantada em saber que todos os dias em média 4 pessoas são diagnosticadas com algum desses transtornos,somente pelo meu médico. o que gostaria de dizer com isso é que talvez precisamos repensar nossas atitudes e pensamentos e parar um pouco, deixar essa vida corrida de lado e se recolher por alguns dias para restabelecer nosso corpo e nossa mente, procurar a ajuda necessária sem medo.abraço a todos

    ResponderExcluir
  10. Olá Karen, bom dia.
    Também já sofri desse mal de Transtorno de Ansiedade, que pareceu-me ter desencadeado um pânico. Como todos os que estão aqui, também passei pelas horríveis sensações de morte e pensamentos ruins. Pensava que iria enlouquecer, e que nunca seria curada. Hoje, evito certos assuntos que me deixam ansiosa, não posso dizer que estou totalmente curada, pq isso depende de mim. Tenho uma vida agitada. Tenho trabalhado muito meu lado espiritual, pois sou evangélica, e Deus tem sido meu apoio,em todo o momento. O que diminuiu as crises foram a ajuda de Deus, minha mãe, amigos e muitas orações que recebo e que tb faço. Mas creio que seremos libertos desse mal. Um abraço, Fernanda.

    ResponderExcluir
  11. Anônimo do dia 12/04, adorei seu comentário! Muito obrigada! Fico feliz que tenha chegado aqui no blog e espero que possamos nos ajudar! Boa sorte no seu tratamento, e volte sempre!

    ResponderExcluir
  12. Fernanda, sabe q eu tb evito certos assuntos? Antigamente era bem pior, às vezes só de ouvir determinada coisa eu já ficava impressionada e passava mal! Fico feliz por vc estar se sentindo melhor, desejo que melhore cada vez mais!

    ResponderExcluir
  13. Muito obrigada a todos que deixam seus comentários, desejo que todos prossigam em seus tratamentos e superem as crises, que, na minha opinião, são a pior parte! Um grande abraço, qualquer coisa estou por aqui, ok?

    ResponderExcluir
  14. Queremos respostas e tratamento

    ResponderExcluir

Obrigada por deixar seu comentário no Sem Transtorno! Não deixe de curtir a nossa página no facebook.com/semtranstorno.