terça-feira, 5 de março de 2013

Crises de pânico podem ser hereditárias


Artigo colaborativo do blog Síndrome do Pânico

Embora não seja a explicação central para as crises de pânico, pesquisadores estudam a relação entre elas e fatores genéticos.

Os estudos mais comuns indicam que o problema pode ser motivado por vários fatores, desde estresse e depressão, assim como problemas familiares, perdas de pessoas queridas ou, até mesmo, pelo medo de alguma situação específica, como um trauma. É o caso de pacientes que, depois de passarem mal andando de trem, precisam evitar esse tipo de transporte para não ter novas crises.

Embora a maior parte das explicações para a doença estejam nesse foco de raciocínio, um estudo investiga o fator da hereditariedade. Ele estima que um percentual dos casos não ocorre por acaso, mas possui relação com o desencadeamento da doença em mais de uma pessoa da mesma família.


Alguns estudos mais recentes desta linha evidenciam que o Transtorno do Pânico pode ter sido herdado dos pais e familiares em 28% a 43% dos casos. O número parece bastante significativo, mas ainda não há dados mais aprofundados sobre quais genes estariam relacionados com a herança da doença.

Cerca de 34% dos pacientes entrevistados afirmam possuir parentes de primeiro grau com a doença ou que já tiveram crises em algum momento da vida. O que ainda instiga os pesquisadores é que só isso não explica o desenvolvimento da doença nos pacientes. Como já foi mencionado, esta é apenas uma das explicações que tentam identificar as causas da doença.

 

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Obrigada por deixar seu comentário no Sem Transtorno! Não deixe de curtir a nossa página no facebook.com/semtranstorno.