quarta-feira, 2 de julho de 2014

Esta é a segunda história sobre a experiência com o transtorno do pânico escolhida para receber um exemplar do livro "A garota que tinha medo", da Editora Schoba. Parabéns!!! :)

Meu medo, ou transtorno, ou síndrome do pânico, não é diferente dos outros...

Ele veio de surpresa e me envolveu num dia comum. E caiu como um meteoro, querendo fazer estragos!

Fui arrumar o cabelo num salão onde já estava acostumada a ir, e lá me senti com um estranhamento nunca antes experimentado. Uma angústia, um distanciamento que me deslocava do ambiente de uma forma distorcida da realidade.
Voltei pra casa, tomei um banho longo, mas aquilo estava meio impregnado no meu corpo.

No dia seguinte, parecia que tinha passado, mas voltou à noite, com dormências, taquicardia, enjoo, uma vontade estranha de arrancar alguma coisa de dentro de mim. Meu marido tentava me acalmar e nada.
Foram idas a emergências de hospitais, eletros e tudo normal. 
E os sintomas voltavam.

Decidi e procurei uma terapia indicada (TCC), yoga, acupuntura, dança e busquei tudo que me cercasse de bem estar.

Hoje frequento um grupo de ajuda, que começou em fevereiro (o único aqui no Rio), que só traz harmonia e paz.

Meu nome é Jane e meu grupo foi fundado pela Karen!

Jane Peixoto

Rio de Janeiro, RJ


Veja também a primeira história selecionada.

3 comentários:

  1. Estive lendo a história, e lembrando da minha. Também trato a Ansiedade Generalizada e o Pânico (que já não tenho há alguns meses, graças a Deus). Para mim, o que mais é angustiante é a sensação de mal estar constante. Mas, descobri como quebrar as falsas crenças (coisas que "acreditamos" sobre nós mesmos), o que ajuda a bloquear os sintomas da ansiedade. Eu nunca precisei de remédios controlados, pois apenas com a terapia tenho conseguindo excelente resultados. Faço uma técnica chamada EMDR. Também, tento levar uma vida com mais qualidade, menos café (o que parece potencializar os efeitos da ansiedade), alimentação balanceada, e tenho que praticar mais atividades físicas. Mas, assim vamos levando a vida, com bom-humor e esperança de que a cura está sempre ao nosso alcance.
    Sim, é possível viver SEM TRANSTORNO!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Adorei! :) Sim, Henrique, é possível. Mas para isso precisamos querer muito e sair em busca dessa vida com qualidade. Não conheço essa técnica que você mencionou, vou procurar me informar. Muito obrigada pelo seu comentário. Saúde e paz!

      Excluir
    2. Obrigado Karen!

      É uma técnica fantástica, e posso afirmar: funciona mesmo. Se informe, já existem diversos profissionais que a utilizam para cura de traumas, ansiedade e pânico. Se algum dia precisar de um depoimento sobre a mesma, estou à disposição.

      Excluir

Obrigada por deixar seu comentário no Sem Transtorno! Não deixe de curtir a nossa página no facebook.com/semtranstorno.