sexta-feira, 3 de abril de 2015

Mensagens dos leitores


"Depois que ele me receitou os remédios corretos para controlar meus medos, me sinto outra pessoa, bem melhor, sem sintoma nenhum".

Olá, Karen, tudo bem? 
Descobri sua página e seu blog através de sua entrevista para o jornal O Globo.

Eu tive o pacote completo de problemas mentais: TOC (demorei dez anos pra me curar disso), transtorno do pânico e ansiedade generalizada (adquiri isso depois da morte do meu pai; foi um momento de muita pressão, pois antes de ele morrer eu saí de casa e ainda estava me acostumando a morar sozinha) e tenho um quadro de depressão que me acompanha desde que entrei pra fase adulta. 
Para ter o diagnóstico correto do TOC eu sofri até achar um psiquiatra que descobrisse essa doença e prescrevesse os remédios corretos. Até então, o TOC não era uma doença muito conhecida, mesmo na classe médica (2001). E sofri também até achar outro psiquiatra que descobrisse que eu estava com síndrome do pânico e ansiedade generalizada. 
Até encontrar esse outro médico, eu sofri muito. 
Depois que ele me receitou os remédios corretos para controlar meus medos, me sinto outra pessoa, bem melhor, sem sintoma nenhum. Mas tenho que tomar remédio pra vida toda, pois meu organismo já se acostumou e se eu passo um dia sem tomar sinto diferença.
Antes de tomar os remédios corretos para o meu pânico, cheguei a tomar floral. Funcionou por uns dias, mas depois voltou ao que era antes. 

Digo que estou curada do TOC, não me vejo mais presa aos rituais e ideias obsessivas que me infernizavam tanto, como não poder tocar em tal coisa, ficar conferindo a fechadura da porta mil vezes e ficar lavando a mão até o sabonete novinho acabar... eu fazia tudo isso e agora não mais. 

Gostei também da sua coragem ao falar sobre o desserviço do Padre Marcelo Rossi, que ficou falando que se curou de depressão só com oração. Isso não existe, e se você perceber bem, ele não está curado. (...) 
Eu me curei devido a uma série de fatores: medicação + psicoterapia + atividade física + busca espiritual + prazer em fazer o que se gosta. 

Abraços.

23 comentários:

  1. li sua postagem. Moro em Fortaleza e não tenho um psiquiatra para me acompanhar; preciso tanto, mas não tenho dinheiro para pagar. Sofro muito por causa da ansiedade e medo de falar em público. Basta 3 pessoas reunidas em minha volta para eu não conseguir falar nada. obrigada por esse blog.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Boa tarde! Você já tentou atendimento pelo sistema público? Sei que não é fácil, mas é uma possibilidade. Faculdades de psicologia costumam oferecer atendimento gratuito também, ou por valores simbólicos. Acho que vale tentar!

      Excluir
    2. Karen sou novo por aqui. Desculpe caso esse não seja o canal para perfuntar. Mas aqui no Rio existe grupo presencial para transtornos de ansiedade e pânico ? Desde ja agradeço a atenção e aguardo contato.

      alex.rangel@colegioflama.com.br

      Excluir
  2. Não tem graça, gosto, cheiro, e safada, não pede licença pra entrar, porque já nasceu aqui, pra matar ela não dá, podemos amansala, a ansiedade é assim deselegante, sem modos, besta mesmo, fera no cio, bruta, chata e rasteira,uma capirota, ufa, mas ela não vai me vencer.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Tem razão, a ansiedade (ao menos a crise de pânico) é bem deselegante, chega sem avisar. rss E sim, ela não vai nos vencer.

      Excluir
    2. Oi.. acho que o segredo tá em deixar a ansiedade vir.. sem problemas. Acho que ela se alimenta da nossa resistência em querer que não apareça ou que vá embora rápido.

      Excluir
  3. Eu também , depois de acertar a medicação, NÃO SINTO NADA, graças a Deus, vida normal!!

    ResponderExcluir
  4. Colei meu rosto ao dela, e pude sentir uma sensação de paz e vigor que a tempo não sentia, a paixão me tocou em cheio, e aí por muito tempo a ansiedade vai ficar longe de mim. Gostar de alguém nos primeiros tempos é tudo de bom. Ficar com com uma pessoa por longos anos me enferruja e a ela também. Não sou contra a quem pensa de outra forma, mas início de relacionamento tudo funciona em harmonia, é ou não é?

    ResponderExcluir
  5. Boa noite, devido a um trabalho da faculdade cheguei a esse blog e achei super interessante pois tenho TAG, graças a Deus estou a um tempo sem crises mas confesso que não e fácil pois a dois anos abandonei o tratamento por medicamentos optando apenas pelo lado alternativo.
    Fiquei muito feliz pois aqui poderei trocar informações sobre o assunto, pois se formos observar muitos ainda ignoram estes transtornos aqui abordados.
    Um abraço a todos e boa noite

    ResponderExcluir
  6. Também tive crises de ansiedade após perder uma pessoa amada. Como demorou até que eu fosse diagnosticado. Me lembro o quanto sofria com as crises sem fazer ideia do que se tratava.

    Acho importantíssimo espaços como esse onde podemos conversar e compartilhar informações e ajudar àqueles que também sofrem com o diagnóstico dessas doenças.

    Também estou criando um espaço para compartilhar minhas experiências. Fiquem à vontade para me visitar.
    http://www.ansiedadesemcrise.com.br/como-vencer-crise-ansiedade

    Muito obrigado pelas informações.

    Abraços.

    ResponderExcluir
  7. Acabei de achar esse blog e estou amando!
    Tenho 22 anos, e mais ou menos um ano atrás, tive uma crise que até hoje não sei bem do que foi. Desde então sofro muito com medo, taquicardia, palpitações, mãos muito geladas, ansiedade, insônia ... Já passei por inúmeros medicos, fiz inúmeros exames de coração, e sempre me dizem a mesma coisa: "você não tem nada", mas virou rotina ter medo de morrer do coração a qualquer momento.
    Hoje comecei um novo tratamento com fluoxetina... Ah, super aceito indicações de um bom psiquiatra em BH, se alguém tiver :)

    ResponderExcluir
  8. Oiii , meu nome é Marina e tenho 28 anos, nos ultimos 2 meses fui parar 5 x no hospital achando que ia morrer, mas roda vez estava tdo normal cmg e um calmante resolvia, sempre os medicos diziam que era ansiedade, fui atras de um psiquiatra e ele disse q tenho ansiedade generalizada e me passou frontal xr 0,5, no inicio ate q resolveu mas agr ro com crises de pânico, medo de sair de casa, medo de morrer, medo de viver assim pra sempre, medo de tudo, dia 21/05 vou voltar pra proxima consulta e contar pra ele o que ta acontecendo, espero que tudo fique bem, tenho fé em Deus!!!

    ResponderExcluir
  9. Por favor se alguém puder me ajudar! Sofro com isso a muito tempo.. Meus sintomas sã, taquicardia, muito cansaço, falta d ar (fico tentando puxar o fôlego td hr) extrasistole! (Tipo de arritmia ) e muito medo.. já não saiu mas d casa minha vida parou e o pio, ninguém entend.. Alguém sente isso q eu falei? Fiz vários exames e vários médicos e nada, só fala q é essa tal ansiedade..

    ResponderExcluir
  10. Por favor se alguém puder me ajudar! Sofro com isso a muito tempo.. Meus sintomas sã, taquicardia, muito cansaço, falta d ar (fico tentando puxar o fôlego td hr) extrasistole! (Tipo de arritmia ) e muito medo.. já não saiu mas d casa minha vida parou e o pio, ninguém entend.. Alguém sente isso q eu falei? Fiz vários exames e vários médicos e nada, só fala q é essa tal ansiedade..

    ResponderExcluir
  11. Oi gente! Então, sofro com isso a bastante tempo.. Meus sintomas são, taquicardia, cansaço fáci, extrasistole, e muito medo.. Já ñ saiu d casa e minha vida tá parada.. O pior d td é q ninguém entende, É os médicos dizem ser essa tal ansiedade.. Se alguém puder me falar se tbm tem esses sintomas!

    ResponderExcluir
  12. Oi gente! Então, sofro com isso a bastante tempo.. Meus sintomas são, taquicardia, cansaço fáci, extrasistole, e muito medo.. Já ñ saiu d casa e minha vida tá parada.. O pior d td é q ninguém entende, É os médicos dizem ser essa tal ansiedade.. Se alguém puder me falar se tbm tem esses sintomas!

    ResponderExcluir
  13. Karen, deve ta atolada de trabalho pq não posta a mais de um mês. Saudades, querida. E o projeto do livro, como anda?

    ResponderExcluir
  14. Procure um bom psiquiatra e tudo será resolvido.

    ResponderExcluir
  15. o melhor é deixar o medo de lado, o orgulho de lado, ceder e marcar uma consulta ao psiquiatra. nao psicologo, mas psiquiatra. eu acredito que psicologo nao eh adequado a essa questao.

    no entanto o psicólogo pode ajudar como um ombro amigo, pra desabafar, pra vc contar suas melhoras, que pode te dar conselhos.

    a chance eh grande de melhorar bastante com a ida ao psiquiatra, as vezes nem precisando do psicologo junto :)

    nao viver estressado, nao buscar loucamnete as metas da vida, viver com mais leveza, simplicidade e menos patadas ao proximo, mais amor :)
    sao acoes que ajudam bastante tbm, juntamente com a ida ao psiquiatra eh claro.
    foco forca e fé <3
    boa sorte pra nós!

    ResponderExcluir
  16. Olá, gente. Sou médico, residente, tenho 27 anos. Iniciei minhas crises de ansiedade na época de provas de residência. Tive taquicardia, palpitação, medo de morrer e vivo, constantemente, com um pensamento de que estou vivendo após a morte, como se eu estivesse morto mas vendo um filme do meu passado! Tenho aprendido muito com essa doença . Inclusive, atendo vários pacientes em emergências com esta síndrome em que eu posso orientá-lo para procurar um psiquiatra. Já tive crises ao atender esses pacientes por me identificar ao caso! É uma doença muito incomoda, mas temos que tentar não nos privar e buscarmos uma terapia , ocupar a mente , para que essas sensações não sejam tão frequentes! Pensamento positivo, galera!

    ResponderExcluir
  17. Tenho 28 anos. Tenho TOC e TAG juntos pra ajudar já faz mais de 10 anos... Estou vivendo uma relação conturbada no meu casamento devido a esses transtornos e tenho me afastei do meu círculo de amizades. Tudo que começo com entusiasmo, logo abandono no meio do caminho e estou prestes a me separar do meu marido pois ele também tem TAG, mas não admite e não quer procurar tratamento. Quero acertar uma medicação logo, pois está insuportável viver assim...

    ResponderExcluir

Obrigada por deixar seu comentário no Sem Transtorno! Não deixe de curtir a nossa página no facebook.com/semtranstorno.