segunda-feira, 10 de março de 2014

Karen Terahata: carioca nota 10 na Veja Rio


Foto Felipe Fittipaldi

A jornalista Karen Terahata criou um grupo de ajuda para tratar a síndrome do pânico


Definida como um transtorno de ansiedade, a síndrome do pânico é uma doença pouco compreendida. Trata-se da ativação súbita e desmedida de nosso sistema biológico de alerta, sem a existência de um perigo real que justifique seu funcionamento. O primeiro contato que a jornalista Karen Terahata, de 38 anos, teve com a doença foi em 1997 a caminho de um encontro com amigos. Na ocasião, seu coração disparou, os braços começaram a formigar e ela teve dificuldade para respirar.
Leia a matéria completa!

6 comentários:

  1. Olá, como voce faz pra lidar com a TAG e as crises de panico? Tenho isso e depressão tb. Visite meu blog: http://quandonadafazsentido0.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá... como eu conto aqui no blog, lido com meus transtornos enfrentando, me tratando com medicação e terapia. Dessa forma, consigo hoje levar uma vida normal! Também tenho depressão associada, ela infelizmente acompanha mais da maioria dos casos de ansiedade patológica. Mas faz parte e temos que encarar de frente! ;) Abraços! Vou visitar seu blog sim.

      Excluir
  2. "Na ocasião, seu coração disparou, os braços começaram a formigar e ela teve dificuldade para respirar." O quadro descrito se dá pela elevação exacerbada dos níveis de adrenalina, estímulos externos: Presenciar um assassinato brutal de alguém que amamos, por exemplo. Um forte estímulo psicológico redunda em estímulos químicos de igual intensidade. Mas tais estímulos químicos sem nenhum acontecimento circunstancial? Bem, pelo menos ocorrido em nosso plano... Mas e quanto aos aspectos metafísicos do mundo em que vivemos? Nosso cérebro é apenas um ponto de intersecção entre dois planos, o físico e o espiritual. Todo e qualquer transtorno psiquiátrico, desde o mais suave desconforto moral de uma neurose até a dor insuportável de um quadro de psicose profunda, nada mais é que a presença de mentes paralelas à nossa, que vão tomando conta, pouco a pouco, de nossa existência, com um único propósito, por fim a tudo que somos. Mas antes de ceifar nossa vida, impõe os mais variados tipos de sofrimento moral e físico, pois tais mentes são o denominador comum de todo o sofrimento que assola o ser humano. Sendo as alterações químicas inerentes a tais quadros apenas o efeito de uma causa espiritual, e não a causa em si.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Magno, obrigada por deixar sua opinião. No entanto, sigo outra linha de pensamento. Meu blog é um espaço que criei para tratar a doença da forma como acredito que ela deva ser tratada, ou seja, com medicação sim, quando ela for necessária, e terapia, além da adoção de hábitos saudáveis. Espero que compreenda e que respeite meu espaço, assim como procuro respeitar a todos que me procuram e autores de outros blogs que frequento, e que têm opiniões divergentes da minha. Acredito que o objetivo de todos nós seja o mesmo: vivermos em paz, com tranquilidade, alegria e boas perspectivas. Abraços.

      Excluir
    2. Ok, Karen. Me perdoe? Deus abençoe...

      Excluir
    3. Sem problema. Com respeito e gentileza, todos serão bem vindos. Saúde e paz.

      Excluir

Obrigada por deixar seu comentário no Sem Transtorno! Não deixe de curtir a nossa página no facebook.com/semtranstorno.