quinta-feira, 22 de maio de 2008

Osso duro de roer

Rebelde, teimosa, cabeça-dura, gênio difícil...
Escutei esses "elogios" durante toda minha vida. E com razão.
Mas aprendi que os capricornianos eram assim mesmo, turrões. Não que isso justificasse, mas ao menos me tranqüilizava um pouco, afinal existia uma explicação cósmica para o meu defeitinho de fábrica.

Ontem de manhã, durante minha sessão de análise, falei muito sobre essa minha faceta. Sobre como sou infeliz sendo assim tão rígida e intransigente com os outros e comigo mesma. Fico remoendo os problemas, as brigas, e de repente explodo. E aí... salve-se quem puder, o estrago é incalculável. Quando percebo, já falei um monte de desaforos, já agredi até a quinta geração da pessoa e ainda saio socando as paredes e o que mais vir pela frente.

À tarde, checando meus emails, lá estava uma mensagem do Fernando Mineiro (aquela pessoa iluminada que preside o Grupan e nos ajuda tanto com suas mensagens de apoio e esclarecimento). Mais uma vez, ele acertou em cheio.

Pavio curto
Por: Fernando Mineiro
Ter ou não ter pavio curto... Tudo se resume em aceitar ou não uma provocação ou agressão verbal. Quando aceitamos, nossos valores nos impõe a uma resposta imediata à situação, com retaliações acima ou no mesmo nível da agressão recebida, ou seja, explodimos. Isso resulta em estresse, tensão e prejuízo à nossa saúde. Quem agride, quer esse comportamento, se sente vitorioso.

Quando não a aceitamos, a agressão retorna ao seu agressor que se sente pequeno por não ter conseguido seu intento. Nossos valores permanecem intocáveis e não nos prejudicamos física e psicologicamente. Agindo assim, não precisamos guardar ou remoer mágoas, socar mesas e nem nem nos estressar.

A pessoa "pavio curto" requer uma ação imediata, o que a impede de ver outras saídas para uma situação de conflito. Por essa razão, sempre se lamentará mais tarde por atitudes impensadas. Valha-se de uma boa noite de sono para ter outras opções de ações.

Em uma discussão onde os valores não são respeitados, não há vencedores, só vencidos.



E se você ainda não viu, veja no post abaixo uma entrevista sobre transtorno do pânico com o Fernando.
Um ótimo final de semana! Paz!

2 comentários:

  1. leks_sk8@yahoo.com.br8 de junho de 2008 13:53

    wgoonie, és grande, forte, vencedora e uma ótima escritora. Simplesmente adoro o seu blog. demorei mas tomei coragem para dizer... Parabéns. :)
    ha .. continue postando....

    ResponderExcluir
  2. Oi, leks! Muito obrigada pelo comentário! Que moral!!
    Continuarei postando sim, pode deixar.
    E agora que criou coragem, comente sempre, por favor! :)

    ResponderExcluir

Obrigada por deixar seu comentário no Sem Transtorno! Não deixe de curtir a nossa página no facebook.com/semtranstorno.