quarta-feira, 17 de abril de 2013

Transtorno de Ansiedade Generalizada (TAG)


ilustração: reprodução internet
Um pouco de preocupação não faz mal a ninguém. Pelo contrário. Não somente é normal como necessário para a nossa sobrevivência. Afinal, é essa preocupação (medo, prudência) que nos faz olhar para os dois lados antes de atravessarmos uma rua, por exemplo. Mas e quando essa preocupação é exagerada?

O Transtorno de Ansiedade Generalizada (TAG) é basicamente uma preocupação excessiva, com motivos injustificáveis ou em níveis desproporcionais. A pessoa vive num estado de alerta permanente com pensamentos negativos bombardeando sua cabeça o tempo todo: ela pode estar com uma doença grave, pode morrer de repente, pode sofrer um acidente... E como ela não consegue relaxar, acaba se sentindo muito cansada.

Essas preocupações podem ser direcionadas a seus entes queridos também. 

 
Diagnóstico
Como o estado de ansiedade perturba a visão que a pessoa tem a respeito de si mesma e do que acontece em sua volta, é necessário que esse diagnóstico seja sempre feito por um especialista.

Uma das maneiras de diferenciar a ansiedade generalizada da ansiedade normal é através do tempo de duração dos sintomas. A ansiedade normal se restringe a uma determinada situação; mesmo que esta situação problemática persista, a pessoa tende a adaptar-se e a tolerar melhor a tensão. 

Já uma pessoa que permaneça apreensiva, tensa, nervosa por um período superior a seis meses, ainda que tenha um motivo para estar ansiosa, pode estar sofrendo de ansiedade generalizada.

Sintomas

A variação dos sintomas de ansiedade é enorme e muitas vezes pessoais. Ganho de peso, por exemplo, tanto pode não ter nenhuma relação com ansiedade como pode, para determinadas pessoas, ser a manifestação mais freqüente. 

Os sintomas mais comuns são: taquicardia; sudorese; cólicas abdominais; náuseas; arrepios; dores musculares; tremores; ondas de calor ou calafrios; adormecimentos; sensação de asfixia, nó na garganta ou dificuldade para engolir; perturbações do sono, como insônia, dificuldade para adormecer, acordar no meio da noite etc; grande cansaço ou esgotamento; sintomas depressivos.

É muito comum que o TAG esteja associado a outros transtornos mentais, como fobias específicas e pânico. Ele costuma ser crônico, duradouro, com pequenos períodos de remissão dos sintomas, e geralmente leva o paciente a sofrer com estado ansioso elevado durante anos. 
Pode vir a ceder espontaneamente em alguns casos, mas não há meios de se prever quando e se isso acontecerá.

Tratamento

A terapia cognitivo-comportamental é a que mais tem mostrado eficácia no tratamento do TAG. Em alguns casos, a intervenção medicamentosa se faz necessária e a duração do tratamento pode variar de 6, 12 meses a até vários anos. 

Observações da Dra. Ana Beatriz Barbosa Silva:

=> "Uma dose equilibrada e saudável de ansiedade é vital para nossa existência. Sem ela seríamos absolutamente apáticos, sem vontade de conquistas, de marchar sempre em frente para que a vida faça sentido".

=> "Estar num estado permanente de vigília e ansiedade é perder os parâmetros normais da realidade (...), navegar à deriva num mar revolto".

=> "A ansiedade excessiva estabelece uma conexão direta com o futuro que talvez nunca exista".

Vamos pensar nisso? 

Cuidem-se! ;)

Coragem, saúde e paz.
 

Fonte: livro Mentes Ansiosas, Psicosite.



16 comentários:

  1. Estou em tratamento de TAG há um ano.A TCC tem me ajudado a olhos vistos, e garças a terapia e a Deus, estou entrando em uma fase mais equilibrada.
    Me inspirei em exemplos como o seu que assumiu seu diagnóstico para dar apoio a outras pessoas. Moro no interior do Maranhão, onde o tratamento é praticamente inexistente e os problemas psíquicos ainda são vistos como sinais de mente fraca ou de falta de fé.Isso é lastimável.
    Tenho visitado pessoas, que assim como eu, sofreram e sofrem e precisam se sentir compreendidas, em vez de julgadas.
    Acesso seu blog com frequência, pois é bom não se sentir sozinha.Obrigada!
    Paz e Bem!

    ResponderExcluir
  2. Marjory, que coisa boa! Como é bom saber que a minha iniciativa te motivou de alguma forma a procurar ajuda e ajudar outras pessoas também! Parabéns pela força e compaixão! Desejo que vc se sinta cada vez melhor!!! Obrigada por me contar, volte sempre e dê notícias! ;)

    ResponderExcluir
  3. Boa Noite Karen,
    Gostaria de ajudar meu marido que sofre de TAG, mas ele não aceita que precisa de fármacos para amenizar essa condição, quem sofre com as crises dele sou eu.Quando em crise, ele até mexe em meu perfil em rede social,exclui pessoas,fuça meu armário, minha bolsa meus e-mails porque os pensamentos negativos ficam na cabeça dele em relação a TUDO.

    ResponderExcluir
  4. oi karen sou uma pessoa muito anciosa ,estou em tratamento mais ainda tenho muitas crises é muito triste passar por isso ,mais vou continua lutando pq quero vencer como vcs venceram ,beijos

    ResponderExcluir
  5. nós não somos a nossa mente, somos mais que ela. a ansiedade é a incapacidade de se manter no presente. é só ter isso em mente qdo vc sentir que a sua mente que te levar para o futuro com pensamentos e desconfianças negativas, imendiatamente sinta que ela quer fazer isso e volte ao presente firme-se no momento presente estou tndo ótimos resulatdos com esse exercício.

    ResponderExcluir
  6. Oi gente, não sei se a minha ansiedade é generalisada, mas cada dia que passa fico maia angustiada, e como desesperadamente tudo que vejo pela frente... estou muito acima do peso não sei oque fazer..

    ResponderExcluir
  7. Pessoal, está um pouco difícil conseguir responder a todos os comentários que deixam no blog, por isso, caso tenham alguma urgência em fazer contato comigo, mandem um email para semtranstorno@gmail.com ok?
    Faço o possível para responder todo mundo!

    ResponderExcluir
  8. Anônimo do dia 17/10, acho que vc deveria procurar ajuda especializada, de um psicólogo ou de um médico da sua confiança (um clínico geral). Existe tratamento, mas primeiro vc precisa descobrir o que vc tem para iniciá-lo. Fique bem e qualquer dúvida, volte a escrever, ok?

    ResponderExcluir
  9. Me senti feliz ao encontrar o seu blog. Hj recebi o diagnostico de TAG,fiquei um pouco assustada no começo, mas agora estou mais tranquila. Vou iniciar o tratamento logo com remédio e voltar a terapia. Foi meu neurologista que me diagnosticou, me sinto mais tranquila porque vou tratar esse mal que me faz sofrer tanto. Eu já estou em uma fase de criar pânicos, por exemplo: já não estava viajando de avião há pelo menos dois anos, e tbem criando um pânico de dirigir. Fiquei feliz com esse blog porque podemos nos ajudar mutuamente.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Marta, tudo bem? Adorei seu comentário! Espero que esteja se sentindo melhor! Gostaria de saber se está seguindo no seu tratamento, mande notícias!
      Abraços!

      Excluir
    2. Oi Karen, já faz seis meses que estou seguindo o tratamento. Houve uma melhora bem significante. Estou bem melhor, me sinto bem melhor. Estou fazendo terapia e tomando a medicação. Já fiz mudanças na minha rotina, trabalho menos. Já consegui viajar de avião, enfim estou lutando para melhorar. A combinação do remédio com a terapia surtiu um efeito muito bom. Vou continuar seguindo com o tratamento. Obrigada! Abraços.

      Excluir
    3. Oi, Martha, tudo bem? Que ótima notícia!!! :)
      Fico muito feliz, de verdade!
      Você me permite compartilhar sua mensagem na fanpage do Sem Transtorno?
      Abraço grande!
      Abraços!

      Excluir
    4. Oi Karen, claro que eu permito. Acho super importante mostrar para as pessoas que tem tratamento. Que a gente pode ter uma qualidade de vida bem melhor. Bjs

      Excluir
  10. Visitem meu blog : http://quandonadafazsentido0.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  11. Bom acho o seguinte se você sabe e admite que tem uma doença, qualquer que seja, você só tem duas saídas ou procura conviver com ela ou acha uma solução, no meu caso sofri de muitas coisas, sabe porque, porque estava apegado a isso, a essa mascara que o ego nos coloca e que não somos nós de verdade!
    Visite :www.curesuamente.com.br

    ResponderExcluir
  12. ola karen,fui diagnosticada com tag,faz uns 6 anos,desde então estou em tratamento ,mas o que prejudica muito a minha qualidade de vida é o cansaço extremo ou astenia,sinto tanto cansaço que não consigo fazer trabalhos comuns do dia a dia,não consigo fazer exercicios.Meu psiquiatra diz que tenho que me esforçar,mas como se não tenho energia?Eu sei que essa doença é horrivel,sei-la.

    ResponderExcluir

Obrigada por deixar seu comentário no Sem Transtorno! Não deixe de curtir a nossa página no facebook.com/semtranstorno.